NOTÍCIAS
25.03.2021
Dois novos focos de dengue encontrados, deixando o Município em ALERTA 🦟
Na quarta- feira 24 de março a Vigilância Sanitária recebeu a confirmação do LACEN, de que duas das amostras encaminhadas na última semana foram positivas para larvas do Aedes Aegypti em dois quarteirões do município, 23 e 50. As coletas foram realizadas pela Agente de Endemias do município durante a sua atividade diária de Levantamento de índice + Tratamento (LI+T). Durante as atividades diárias são coletadas amostras de larvas ou pupas de Culicídeos, que juntamente com o relatório semanal e fichas de visitação são encaminhadas ao Lacen para a identificação de espécie dos mesmos. O Município há cerca de 1 ano atrás já havia entrado no status de município infestado, devido outra amostra de larva de Aedes Aegypti ter sido encontrada em meados de maio de 2020. Com isto encontramos no mesmo status de município infestado e com cuidados redobrados para as duas novas identificações. Na próxima semana estará sendo realizada a atividade do Levantamento de índice de Aedes aegypti – LIA, na qual será efetivada pela Agente de Endemias, Vigilância Sanitária e Agentes Comunitários de Saúde. O mosquito Aedes Aegypti é transmissor de diversas doenças entre elas a dengue, o zika vírus, a febre amarela e a chikungunya, por isto reforçamos a população para realizar diariamente manejos de prevenção aos possíveis locais criadouros de mosquito.
• Tampe os tonéis e caixas d’água;
• Mantenha as calhas sempre limpas;
• Deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo;
• Mantenha lixeiras bem tampadas;
• Deixe ralos limpos e com aplicação de tela;
• Limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia;
• Limpe com escova ou bucha os potes de água para animais;
• Retire água acumulada na área de serviço, atrás da máquina de lavar roupa.
• Atenção com bromélia, babosa e outras plantas que podem acumular água;
• Deixe lonas usadas para cobrir objetos bem esticadas, para evitar formação de poças d’água e preste atenção com bromélias, babosa e outras plantas que podem acumular água;

Fonte:Secretaria Municipal de Saúde e Ação Social
Jornalista:Rita Michelle Pinto